Torrada Queimada

“Quando tinha uns oito ou nove anos, por algum motivo que me foge a memória, todos nós estávamos muito cansados naquela noite. O dia tinha sido anormalmente longo e difícil, especialmente para o meu pai, que chegou do trabalho exausto. O menu do jantar era sopa e minha mãe tinha feito uma torrada e preparado uma manteiga com ervas, para dar uma incrementada. Mas quando sentei à mesa, o que eu vi ali não eram torradas: pareciam pedaços de carvão! O pão tinha obviamente queimado e parecia intragável. Eu hesitei, sem saber o que dizer, e esperei para ver a reação do meu pai.

E ele agiu como se nada tivesse acontecido. Meu pai pegou o pão esturricado, passou manteiga e comeu com gosto. Ao mesmo tempo, me perguntou sobre o meu dia, se já tinha terminado o dever de casa, etc. Já não me lembro do que respondi, mas o que aconteceu depois eu nunca vou esquecer. Minha mãe começou a se desculpar pela janta simples, pelo pão queimado, mas meu pai só disse, sorrindo: “Que bobagem. Eu gosto de torrada ASSIM!”

Mais tarde, quando ele entrou no meu quarto para dar boa noite, eu perguntei se era verdade que ele tinha gostado daquela torrada horrível. Ele me abraçou e disse: “Sua mãe teve um dia longo e estressante. Acontece de vez em quando. E um pedacinho de torrada queimada não mata ninguém. O que machuca é dizer a coisa errada na hora errada!” Ele então me abraçou mais uma vez e continuou: “Você vai aprender que, na vida, as coisas nem sempre saem como a gente quer. Nós não somos perfeitos. Eu, por exemplo, vivo esquecendo compromissos e o nosso aniversário de casamento. Mas, como o passar do tempo, a gente aprende a aceitar os pequenos deslizes e erros dos outros. A gente aprende até a amá-los! Esse é o segredo de um relacionamento longo e feliz entre duas pessoas. A vida é curta demais para a gente desperdiçar reclamando das coisas. É melhor simplesmente amar as pessoas que só querem o seu bem. E ter um pouco de compreensão com as que ainda não se deram conta disso.”

A história desta família pode ser curta, mas é uma bela lição para toda a vida. Compartilhe com seus amigos!

The following two tabs change content below.
Natã Campos
Sou Aprendiz de Liberdade e busco ser melhor pai, melhor marido, melhor amigo, melhor profissional e te desafio a buscar a melhor versão de si mesmo todos os dias. Amante da musica e sempre em busca de conhecimento que agregue valor. Practitioner em PNL, Empreendedor Digital, Palestrante e Psicoterapeuta.

Comente com Seu Facebook

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: