O que aprendi com Thomas Shelby

AVISO DE SPOILER

No seriado Peaky Blinders, há uma temporada em que o personagem principal, Thomas Shelby, líder de um grupo de contraventores, admite uma mulher para trabalhar em seu bar; no desenrolar da trama, os dois se envolvem e acabam se apaixonando um pelo outro. Mais tarde, ele descobre que essa mulher que havia contrato e pela qual se apaixonou é na verdade uma espiã infiltrada, e surge uma situação decisiva em que os dois vão ter que definir seus rumos. Essa parecia ser a última oportunidade de abrir o coração e falar aquela frase arquetípica. Os dois estão no mesmo quarto, se entreolham, ela deixa escapar um “eu amo você”, ao que ele responde, secamente: “tudo nessa vida se esvai, arrume suas malas e vá embora”. Esse é o drama do eu amo você, a outra pessoa pode não ouvir, não receber, não acolher, e todo o universo vai ser frustrado.

Um “eu amo você”, quando dito de modo pleno, profundo, é sempre dramático porque ele carrega todos os “eu amo você” do mundo, tendo a pretensão de ser o mais pleno de todos. É comum entre os amantes querer singularizar o seu amor, reivindicar para si o desejo mais puro e verdadeiro. Isso é o poder de uma fala arquetípica; quando enunciada, ela carrega consigo o significado de todas as outras vezes em que a fala foi evocada, sem jamais se esgotar. Entre as falas arquetípicas, algumas tem pretensão especificamente espiritual. O “eu amo você” não deixa de ter essa pretensão, mas também participa de uma dimensão que é muito humana. Um “eu amo você” saindo da boca de quem você ama dá vida àquele verso de Antonio Machado, “Dicen que el hombre no es hombre mientras no oye su nombre de labios de una mujer”.

@italomarsili

The following two tabs change content below.
Natã Campos
Sou Aprendiz de Liberdade e busco ser melhor pai, melhor marido, melhor amigo, melhor profissional e te desafio a buscar a melhor versão de si mesmo todos os dias. Amante da musica e sempre em busca de conhecimento que agregue valor. Practitioner em PNL, Empreendedor Digital, Palestrante e Psicoterapeuta.

Comente com Seu Facebook

Natã Campos

Sobre Natã Campos

Sou Aprendiz de Liberdade e busco ser melhor pai, melhor marido, melhor amigo, melhor profissional e te desafio a buscar a melhor versão de si mesmo todos os dias. Amante da musica e sempre em busca de conhecimento que agregue valor. Practitioner em PNL, Empreendedor Digital, Palestrante e Psicoterapeuta.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: